[ Dados da Paixão ]

Nos dias 10 e 11 de abril (sexta e sábado) de 2020, acontecerá às 20h, no Teatro Cidade Cenográfica, segundo maior a céu aberto do Brasil, uma das mais belas histórias da humanidade, a “Paixão de Cristo”. Organizada pelo Grupo Escândalo Legalizado de Teatro - ESCALET, com 55 mil metros quadrados, o Teatro Cidade Cenográfica se localiza em Floriano, município a 240 km de Teresina.

Fé e emoção definem o espetáculo que mostra a trajetória de Jesus do batismo à ressurreição. Considerada a mais consagrada e emocionante história da humanidade, atrai público de todas as idades. Estima-se que a Paixão de Cristo do grupo ESCALET já foi vista por mais de dois milhões de espectadores em mais de 164 apresentações, tanto no Teatro Cidade Cenográfica quanto em praças públicas do país. Além disso, ele é considerado o maior evento cultural do Piauí - um atrativo que movimenta o turismo local, com mais de 30 mil espectadores por ano. 

O evento está na sua 25° montagem com um elenco de estrelas, formado por 350 atores. Para enriquecer e valorizar ainda mais a encenação, o grupo conta desde 2002 com a participação de atores de projeção nacional, ao longo dos anos já estiveram presente artistas como: Carlos Vereza, Nívia Maria, Zezé Motta, Jackson Antunes, Dalton Vigh, Guilherme Weber, Caio Blat, Luigi Barricelli, Carlos Casagrande, Oscar Magrini, Elke Maravilha, Manoela do Monte, Ricardo Pereira, Luciano Szafir, Thiago Fragoso, Marco Pigossi, Tuca Andrada, Rafael Cardoso, Gisely Soares, interpretando papeis diferentes.

Em 2020, o espetáculo contará com a participação dos atores nacionais Raphael Viana, que irá viver o personagem Pilatos, governador romano que por volta de 33 foi enviado para Jerusalém com objetivo de pôr ordem à situação que havia se instalado na região, após a dominação do império romano. Em Jerusalém, Pilatos se depara com situações complicadas que vai desde a revolta do povo da Galiléia com os impostos cobrados por Roma até o surgimento de profetas como João Batista e Jesus Nazareno. A situação imposta na trama, que é a maior encontrada na Bíblia Sagrada, leva o governador a lavar as mãos ante o julgamento de Jesus vivido pelo ator (Edson Oliveira), e este é Crucificado.

Kadu Moliterno viverá Herodes, Rei da Galileia, que mesmo temendo aos profetas, mas pela imposição de Herodías (Fatima Marques), sua esposa, termina degolando João Batista (Wemerson Carvalho). Este acontecimento o leva a não condenar Jesus no momento em que este lhe é apresentado para julgamento e manda devolvê-lo a Pilatos. Se não o condenou, também não o libertou, ficando mais confuso e desesperado diante de tanto sangue de profetas que fez derramar.

Miguel Rômulo irá incorporar o personagem Caifás, um edomita judeu. Caifás foi participante de destaque no julgamento de Jesus organizado pelo Sinédrio; por ser um sumo sacerdote, ele também ocupava a posição de chefe da corte suprema. De acordo com os evangelhos, Jesus foi preso pela guarda do Templo de Jerusalém, e foi levado diante de Caifás e outros, por quem foi acusado de blasfêmia. Após considerá-lo culpado, o Sinédrio entregou-o ao governador romano Pôncio Pilatos, por quem Jesus também foi acusado de sedição contra Roma.

A atriz Ingrid Costa dará vida a Maria Madalena, descrita no Novo Testamento como uma das discípulas mais dedicadas de Jesus Cristo. É considerada santa pelas igrejas Católica, Ortodoxa, Anglicana e Luterana, sendo celebrada no dia 22 de julho. A Igreja romana, seguindo São Gregório Magno, além de identificá-la como a "pecadora", também a confunde freqüentemente com Maria de Betânia, irmã de Lázaro, e celebra as três Marias com uma única festa. O nome de Maria Madalena a descreve como sendo natural de Magdala, cidade localizada na costa ocidental do Mar da Galileia.

Maria, mãe de jesus será vivida por (Ana Cecília Costa). O Novo Testamento relata sua humildade e obediência à mensagem de Deus e faz dela um exemplo para cristãos de todas as idades. Fora das informações fornecidas no Novo Testamento pelos Evangelhos sobre a dama da Galileia, a devoção cristã e a teologia construíram uma imagem de Maria, que cumpre a previsão atribuída a ela: Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada.

Além de florianenses, o espetáculo atrai grande público de cidades vizinhas, como Teresina, onde grupos se organizam em excursões para assistir ao espetáculo ao vivo. Quem for à cidade em busca de uma experiência religiosa pode conferir não apenas a Paixão de Cristo, mas também a Igreja Matriz São Pedro de Alcântara, Capela Padre Pio de Pietrelcina, Igreja Nossa Senhora da Guia e Mosteiro das Monjas. Segundo o diretor, Alisson Rocha, o público ficará maravilhado com a estrutura completa que os espera em Floriano, como iluminação, figurino e atuações marcantes.

A Paixão de Cristo, em Floriano, conta com o apoio do Governo do Estado do Piauí, Prefeitura do Município de Floriano, Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, Secretária de Estado de Cultura do Piauí/SECULT, Credishop, Ferro Leste e Armazém Paraíba.